terça-feira, 8 de junho de 2010

Feriadão






Feriado de Corpus Cristi!




Se todos pudessem ter a rotina política de trabalhar de terça à quinta, nínguem ia reclamar não é? Mas, como não temos essa rotina fatídica, aproveitamos e reclamamos, rs.

Bem, muitos fizeram várias coisas!
Nós também!! Mas o ponto alto foi no domingo, velejada, mas chegaremos lá daqui a pouco!

Primeiramente, feriado prolongado deve começar assim: 




Ok, depois disso podemos estender o leque de opções para fazer durante o dia!
Lavar a casa, louça, roupas, cães!!
Sim, foi o que começamos a fazer mas, claro, cansamos rápido e fomos aproveitar o que nos é direito!

Levamos os dogs na praia, bem cedinho, e o Jacque ficou engajado na causa ambiental:
E, mereceu um pouco de avacalhação:

Recolhemos 10 garrafas plásticas sem esforços..



Na volta o Correios nos entregou uma encomenda, de um artista paulistano e ganhou destaque no quarto que não tinha nada nas paredes:



Nesse mesmo dia ainda fui (thi) pegar uma peça de inox para o Odisséia.

Isso, no dia seguinte, me motivou a dar uma melhorada no cavalete onde estava o motor de popa.. tipo tava desmontando, todo banbo.. uma vergonha... bem, eis que algumas horas depois, montei o seguinte:



Nesse dia ainda visitamos uma amiga nossa que vive com seu respectivo namorado e, cada um possue um cão.. e é clássico, o dele é machão, valente e tals, o dela é labradora filhote e isso já diz tudo:


Ok, ok.. mais um dia bem gasto!

Domingo estava previsto vento perfeito, o dia inteiro e, muito sol! Bem, vamos lá velejar e aqui foi o top 5 do FDS!

Acordamos alguns amigos para convida-los e, depois de alguns darem para trás, nossa cobaia, que não pensou 2 vezes, foi o Cauê!
A Keith tirou uma foto de mim para provar que eu fui também!
O colete é porque estava vento frio e, a malha azul não segura calor hein!!

Nosso destino foi as telhas, ou melhor, as dunas cor de telhas da comunidade de Passinho (colher amostras, rs)..
Ah, o 4º elemento, saiu de lá mesmo! Chamamos ela de sereia pq entrou na água indo até nós.. mas era Raquele o nome real... Então é nome e sobrenome!



Bem, e foi isso..







Mintiiiraaaa!!



Agora vem o texto mesmo:



Velejamos duas horas para chegar lá.. sussa, é rapidinho e, como disse perfeito pois a previsão era vento o dia todo..

Por isso o Odisséia ficou calminho, esperando a gente colher amostras;

Na volta porém, tornou-se obvio um grande problema.. a presença de redes, ilegais pois estamos em período de "defeso".. mas alguém acredita que o ambiente pode esperar - cof,cof - e por isso, o problema real se pronunciou novamente em nossa frente, ou digo, proa.. primeiro era a distância... por algum motivo, naquela hora do dia, Rio Grande ainda estava especialmente longe.. Medimos com os dedos, com os chutes mas, era claro, a distância era maior que o tempo em que o Sol estaria a iluminar nosso caminho e, nos esquentar.. ainda bem que colocamos todas as roupas no porta-malas do barco.. e, valentes, sem chance de mudar nosso destino! Huahauhua.. esqueçemos que na vida somos sempre passageiros.. o tempo foi indo.. o sol sendo derrubado e, sem o calor, foi-se indo o vento também.. Sim, a previsão era de 14 nós ao fim do dia.. consegui fazer uns 20 em um único cabo, de nervosismo.. O que fazer.. não sabiamos ao certo.. já era o 3º problema... distância, sol e vento.. a única coisa que eu penso que sabia era que a gente não estava "bem na fita" pois não teríamos força para subir nenhuma correnteza.. e correnteza é o que não falta por aqui.. tem a do canal principal, a do porto, a de SJN, a do RGYC.. e muitas outras.. De jeito que a gente estava parado não teria como.. a correnteza ia levar a gente para além de nossa cidade.. Remar foi uma solução! Temos 2 remos! Eu e o Cauê começamos na pegada! Rio Grande ainda esta lá! Mas não tão perto.. a correnteza do canal estava normal mas, vazante e, rapidamente começamos a passar as bóias de sinalização do canal que a gente deveria pegar.. o do RGYC.. A essa altura, o Sol também já tinha ido embora e, o vento com ele.. Que merda.. Ah é, claro, tentamos entrar em contato com alguém no RGYC, para nos rebocar, mas domingo anoite imagine.. todo mundo vendo fantástico.. ainda bem que sabemos nadar e, temos cidades dos dois lados das margens.. fomos então para SJN que, de certo modo, era rumo da correnteza.. E fomos, remando, revezando e remando.. pqp.. desculpe.. mas chegamos.. escuro e frio, em SJN.. bem onde a balsa de carros e a "lancha" de pessoas entra e saí.. maravilha.. Agora, o problema era outro; onde colocar nosso querido barco? pois é.. parar no contra bordo de um pesqueiro seria tranquilo.. mas, naquela hora não havia mais pescadores nos barcos.. e perguntamos alí, aqui, e, depois de um bom tempo achamos um espacinho mini, na frente da "lancha" ambulância.. amarramos onde pudemos, tiramos tudo de dentro e o deixamos ele lá para passar a noite! Deu aperto no coração.. E dúvida se ele estaria lá no dia seguinte, ileso..

Pegamos a balsa para bípedes e chegamos em Rio Grande.. agora era andar até o RGYC, onde estava o carro.. acho que foi uns 20 minutos.. Chegamos em casa as 22:30hrs aproximadamente.

Hoje, segundona, acordei as 6 pra voltar ao centro, pegar novamente a balsa para SJN as 7 para então voltar a bordo..

Chegando lá tirei uma foto do barquinho que parecia ibernar:


"Gastei" mais uma hora para montar o veleiro e parti no contra vento (que era o mesmo do dia anterior mas, com força de fato).. Não foi fácil mas, a valeu a experiência! Em 1 hora e quarenta de navegada eu atraquei no RGYC, são, salvo e seco! Uma maravilha!! Lavei com calma todo o barco pois estava bem sujo.. ele merecia também.. e fui buscar o carro para ir almoçar com a Keke no RU da FURG e, assistir as aulas..



A conclusão que tiramos é que não existiu um minuto sequer uma dificuldade a nossa frente.. para tudo teríamos uma outra alternativa.. então, de certo modo, todo o "sufoco" que pensamos estar passando era na verdade diversão!!



É isso.. acabou o feriado.. e, com isso o dia acaba assim:


Astá!!