domingo, 21 de setembro de 2014

Canions & Cambará do Sul

Claro que o ano 2014 não podia passar em branco!
Essa postagem deveria ter sido escriva antes, quando recém tinha feito esta viagem aos Cânions da região de Cambará do Sul/RS.


Cânion Fortaleza - Cambará do Sul/RS

Essa viagem, inclusive, não foi apenas para conhecer os Cânions mas sim para conhecer umas estradas que existem nos mapas rodoviários, nesta região. E eram Estradas mesmo, do conceito lá do código de trânsito: "Estrada: via rural não pavimentada".
O roteiro era utilizar as rodovias ("Rodovia: via rural pavimentada") "Rota do Sol" (BR-453/RS-486) e chegar a Cambará do Sul pela rodovia RS-020 (já que nossa destino final era São Paulo), pernoitar em Cambará, conhecer os Cânions e em seguida cair na estrada RS-020 até São Joaquim/SC, passando por São José dos Ausentes/RS. De Cambará do Sul à São Joaquim/SC são aproximadamente 130km de estrada...
Caso estivéssemos sentido SP-POA, utilizaríamos uma outra rota para chegar nesta cidade, saindo da rodovia BR-101(SC) no km 455, sentido São João do Sul (tem o Auto Posto Fratelli como referência), utilizando então a rodovia SC-450 até Praia Grande, para em seguida (cruzando a fronteira entre os Estados), a rodovia passar a se chamar RS-427. Essa rodovia (RS-427) possui uma serra muito bonita mas que, em uns 8km, ainda não está asfaltado. Isso não é problema se o tempo estiver bom, com Sol... mas, se for tarde ou com chuva, prefira o caminho que usei, pela "Rota do Sol". Pela rodovia RS-427 chega-se finalmente à Cambará do Sul.

De onde vim; onde cheguei.

Enfim, chegamos na cidade Cambará do Sul.
A cidade é pequena e rústica. A rua principal passa pela igreja matriz, restaurante, loja de turismo, farmácia, posto e fim. Proporcionalmente ela tem muitos hotéis e pousadas à disposição. Desde caras, estilo hotel, às familiares do tipo só aceitam dinheiro. Vai do gosto e bolso de cada um. Eu quis ficar em família e conversar sobre a cidade com os locais. Como fui fora de temporada (que é no verão), haviam vagas sobrando em todos os lugares. Haviam também diversos gringos de bike, coragem!

"City map GPS high definiton plus"


Da forma inversa aos muitos lugares que achamos para se hospedar, os restaurantes estavam quase todos fechados. Mas comemos uma pizza de pinhão muito interessante na pizzaria que tem em frente a igreja matriz.. não me lembro o nome mas era relacionada a música e vinil(LP) e aceitava cartão de crédito.
Como estávamos com pouco tempo, não fui ao Cânion Itaimbezinho (Quem subir pela RS-427 pode poupar tempo a já conhece-lo antes de chegar a cidade)...
Escolhemos ir ao Cânion Fortaleza. A via de acesso a esse cânion sai direto da rua principal da cidade e tem 22km de extensão, sendo que 10km deste trecho já estão bem asfaltados e os outros 12km não. Não vá se empolgar com o asfalto liso pois as curvas são traiçoeiras e é só barranco no entorno! Ao fim do asfalto começa uma estrada com muitas pedras e pedras grandes.. dificilmente se consegue mais que 30km/h nesse trecho. Chega-se a portaria do parque, nomes e documentos são exigidos e a entrada é franca.

Canion Fortaleza
O ideal, para poupar seu carro, é pegar um taxi no centro da cidade e combinar preço e tempo com o motorista, para ir até o Cânion Fortaleza. Saí algo como 50 reais ida e volta.. o que parece absurdo mas que, divido por 2, 3 ou até 4, sai barato, acredite, devido ao trecho ruim de estrada. Nós fomos com nosso carro, um 207 Sedan com 4 pessoas e malas (pois íamos seguir viagem!).
Ah, leve água também, pois não tem NADA neste trecho e no Cânion!! (e a máquina de fotos, um chapéu e roupas leves :) )

Bem, mais alguns quilômetros na estrada torturante, já dentro do parque, chega-se a entrada das trilhas "Cascata Tigre Preto" e "Pedra do Segredo". Não quero ser "spoiler".. decida vc se vale ou não andar até estes pontos ("já tá aqui né")!

É um cânion, vai!
Indo adiante chega-se ao estacionamento para a trilha do mirante. De lá as pessoas ficam pequeninas, vendo elas irem até o mirante.. parece se tratar de uma trilha de trocentos quilômetros seguidos de uma subida digna da pedra do filme Rei Leão.. mas não é longe não e a vista; ah, a vista! Sério, compensa ir!! Se o tempo estiver limpo é possível ver até o mar de lá de cima!

Ah, de volta ao estacionamento, pois esqueci de comentar, existem pequenas raposas neste parque.. a gente não deve alimentar elas, claro.. mas elas já sabem que são poucos humanos que resistem a essa ordem e que todo grupo de humanos possuem comida. Quando fomos voltar ao carro, apareceu uma alí.. uma gracinha.. estávamos comendo caqui e um caqui acabou por cair no chão.. que sorte da raposinha.. daí caiu mais um caqui, na mesma hora que outra raposinha apareceu.. um casal!! e mais uma raposa veio por trás do carro e mais outra e outra.. já eram 5 raposas com fome contra 4 macacos coloridos e estabanados (nós).. paramos de derrubar frutas e entramos no carro, ufa. Então cuidado.

Raposinhas cuidando os carros


É isso.. voltamos a cidade e seguimos rumo São Joaquim/SC via RS-020.. São "apenas" 110km de estrada secundária e terra, com imagens do trecho abaixo.

Estrada RS-020
Divisa RS/SC pela RS-020
Vistas de uma estrada desconhecida (RS-020)