quinta-feira, 28 de novembro de 2013

VIII Volta Ilha dos Marinheiros - 24km - 2/2

Olá novamente leitor,

A alguns dias atrás eu escrevi sobre minha pré-preparação e participação (pela segunda vez consecutiva!), em uma prova de atletismo (corrida) de longa distância e, no meu caso, longa duração (leia aqui).

Bem, a prova já aconteceu e agora falo como foi e como estou;

Eu queria ter chegado a Ilha dos Marinheiros bem cedo.. uma porque os locais de largada não tem onde parar o carro em um lugar protegido do sol e, queria chegar cedo para vender mais cadarços de elástico aos corredores (porque eles são muito bons! quer?).
Mas não foi isso o que aconteceu, pois calculei mal o tempo e saí atrasado de casa. Como a Ilha dos Marinheiros é longe para se ir de carro e, seu acesso pela estrada de terra é ruim, demora-se para chegar lá.. são quase 40km! Daí, para resumir, cheguei faltando apenas 10 minutos para a largada... foi apenas o tempo de armar a bici da Keith e correr para a largada, sem nem ter ido ao banheiro.

Ok, sobre forte Sol, as 09:00, largamos!

Largada VIII Volta Ilha Marinheiros

O local de largada deste ano, a Comunidade Nossa Senhora da Saúde, fica mais para o interior da ilha, de forma que, para chegar ao percurso da prova propriamente dito, ou seja, a estrada que dá a volta em todo o perímetro da ilha, os corredores acabam por perfazer uns 600m.. somados os 600m para percorrer este mesmo percurso na chegada, a prova deste ano teria ao menos 1200m a mais que os "conhecidos" 24km..

Comunidade Nossa Senhora da Saúde

Logo nos 5 primeiros quilômetros se nota o afastamento entre os corredores amadores e profissionais.. e, nota-se também que a ilha ainda não faz tanta questão em receber seus corredores pois, a meu ver, carros trafegavam junto a nós, tentando passar por entre os corredores que estavam espalhados pelo percurso e, pior, levantando poeira fina... isso ocorre pois o percurso é no sentido anti-horário da volta e, assim, os corredores cruzam com todos aqueles carros que chegam a Ilha, sejam atrasados ou de outros moradores.
Pensando agora ainda lembro que um serviço mal feito de abrir valetas na margem da "pista" colocou todo o entulho sobre a estrada, deixando-a ainda mais estreita e perigosa. Fico surpreso que a única morte nesta prova, ocorrido na sexta edição, tenha sido devido ao calor e não a um atropelamento..

Um pouco mais a frente, acho que a partir do km 6 da prova e até aproximadamente o km 18 a pista torna-se rumo Nordeste e, como eu havia comentado antes, o vento estava programado para soprar exatamente deste quadrante e com alta intensidade (ou seja, contra e de cara para os corredores).. Essa parte foi dura pois não mais apenas os carros que passavam eram responsáveis por levantar poeira, rajadas de ventos também faziam isso, além de desequilibrar-nos por instantes.
Ainda neste quadro difícil, os postos com água estavam escassos (acho que foram 4 com água e apenas 1 com suco/refri Fruki e, pior, estavam muito longe uns dos outros). Sorte que eu tinha meu apoio técnico ao lado, me acompanhando.. e, assim, pude até dar alguns carbos para outros corredores que já estavam morrendo e oferecer Gatorade também... tive também de regular com outros pois a escassez de água e minha distribuição de insumos poderia prejudicar a mim também ou até a meu suporte ciclístico...

Km 23 - 2 horas e 24 minutos - Uff..

E, pelo km 20 eu enfrentava dificuldades; o calor de 2 horas de prova colocavam o astro rei à fritar pernas, braços e nucas.. o meu gps, devido a um erro, já marcava 22km e me deixava frustrado com os quilômetros que ainda faltavam.. a falta de funcionários e voluntários durante a prova fazia com que vários corredores buscassem ajuda particular e, assim, vários carros e motos começaram a levar água e carbos aos seus corredores.. uma pena.

Enfim, a chegada, as 11:31, quase 30ºC (o que é muito para esta época).
A medalha dos finishers me desapontou.. não era estilosa como a do ano passado... era uma comum, igual as rústicas de 5km, com um adesivinho mal impresso e, no meu caso (percebi depois) trincada.
Da chegada corri para as frutas, para agarrar melancias e bananas e ouvir o aviso; "São só para quem fez os 24!!"..
Ah, me poupe!! Peguei um pedaço para mim e outro para a Keith e teria pegado para quem quisesse pois estava irritado com a falta de consideração com corredores e nossos acompanhantes.

Depois de algum tempo me recompondo fomos almoçar o galeto que está incluso na inscrição. Estava tudo muito bom e bem feito.. e era feito por: Arroz, Macarrão, Frango, Beterraba e Cenora ralada, alface, tomate e cebola.. não sei se podia repetir pois a fila era sentido único.. mas isso era possível.

Dalí saí para ver a premiação geral e por categorias.. depois finalmente vendi alguns cadarços e, assim, recolhi minhas coisas e fui-me embora.

Cadarços Elásticos ROX!
 


SALDO FINAL;
É gostoso correr a Volta da Ilha pela natureza mas é uma prova difícil. Vale a pena se você já estiver correndo 24km/semana pois neste ano eu estou super bem fisicamente e sem dores do pós prova e, ano passado eu estava super mal neste período, rs.
Se você for correr, leve alguém de bicicleta pois ela fará a maior diferença, provindo você de água, isotônicos, frutas e etc.. E, embora seja simples, fique para comer o tal galeto!

Astá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bom podermos nos entender :D