quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Um pouco de Gramado, Canela e o Café Colonial

Faz tempo que não escrevo neste blog..
É verdade, culpa da minha preguiça.. bichinho interessante!

Nesta postagem vai para citar alguns detalhes sobre uma viagem que fiz novamente, ou seja, pela segunda vez. Fui para Gramado e, claro, visitei sua vizinha Canela, ambas cidades aqui no Rio Grande do Sul.

O acesso à Gramado, a partir de POA e por carro, não é lá muito turístico.. possui um trecho "à la São Paulo", de pista dupla e muito movimentada em um trecho da BR-116 que (enquanto uma espécie de mini-rodoanel não fica pronto) esta sempre sobrecarregada. Em Novo Hamburgo se dobra a direita e até Taquará segue outra estrada melhorzinha, duplicada, mas com radares, cruzamentos e baixa velocidade (80km/h), além de um pedágio de R$2,5 aproximadamente em ambos os lados. Daí, saindo desta pista, se utiliza ainda mais outra estrada; cheia, simples e com pedágio de R$8 também em ambos os sentidos(!) mas aqui já estar-se chegando ao destino. Ah, o pedágio, além de pequeno e caro, não aceita Sem Parar ou Via Fácil..
Se você leitor não está de carro e, chegou a POA pelo Aeroporto Internacional de POA (Salgado Filho) bem, daí você pode, de lá mesmo, pegar um bom ônibus da empresa Citral, rumo Gramado. Sem stress e sem transito, a empresa oferece vendas pela net e até te pega no Airport sem a necessidade de ir até Rodoviária, carregando malas ou pagando taxi; uma beleza!! O único senão é que, comprando uma passagem no site (ou uma passagem de qualquer outra empresa do ramo), ainda existe a OBRIGATORIEDADE de trocar o vale-voucher-passagem comprado pela net pela a passagem propriamente dita, feita no guiche da Veppo, ainda dentro do aeroporto. Ali eles trocam um papel por outro apenas, e é uma burocracia que não me entra na cabeça a razão..

Bem, Gramado é muito bonita, você já sabia disso. Passa na tevê aquele festival bacana de cinema.

Quem é de SP não faz tanta questão de ir a Gramado pois pensa que ela é igual ou pior que a badaladérrema Campos do Jordão, fincada a 1700m de altura, perto da divisa com MG e RJ, desmatada por algumas enormes casas com arquitetura europeia/moderna e visitada por carrões e muita gente, exclusivamente durante o inverno. Esta era minha referência como cidade de montanha.. pois passei alguns invernos lá, na infância.

Mas, desde a primeira vez que visitei Gramado E Canela, se passou comigo o que se passou com minha namorada, meu irmão, mãe, amigos e amigas; todos de SP. Foi a impressão que a cidade paulista está mil anos atrasada em relação a turismo ou urbanização. Não é apenas um centrinho de Capivari, cheio de propagandas e brindes. A cidade gaúcha entende sua dependência com o turismo e tenta ser bela e agradável em todos os detalhes. É tudo muito bem cuidado! E tudo muito bem limpo! É tudo voltado a te agradar, de tal forma que só se entende indo ver com os próprios olhos. Por isso vá, não hesite!!

Na vez anterior que estive em Gramado, em época de Páscoa, fiquei na Pousada Colina de Pedra
Esta hospedagem é afastada do centro de Gramado, bem no meio do mato! Uma delícia de local que, além de agradável, aceita cães de pequeno e médio porte (esse era meu caso, que sorte!). Os quartos são chalés de madeira; simples, com lareira e espaço. O banheiro é igualmente simples mas conta com aquecedor a gás e é de alvenaria. Se você possui um cão companheiro, recomendo este local mas, daí, a cidade vai ficar em segundo plano pois a pousada é longe do centro, utilizando estrada de saibro e cascalho (terra) para seu acesso. O café da manhã é bem servido, em um ambiente agradável.
Nesta segunda vez que estive em Gramado, na primeira semana de Julho, tive ainda mais sorte. :)
Ficamos em um hotel a 800m do centrinho de gramado (a Av. Borges de Medeiros). Um hotel simples, é verdade, acho que seria um 2 estrelas.. ou seria melhor classificada como uma pousada 5 estrelas. Mas, despida as rotulagens, o local é excelente em custo/benefício. O prédio conta com aquecedor central, inclusive nos corredores, nos quartos e até com difusor dentro do banheiro! Além disto, roupa de cama confortável, colchão de mola, frigobar, tv lcd e um café da manhã digno de Gramado! O preço é tri-bom! Hotel Aspenhof

Mas, nem tudo é perfeito e "cheguei ao ponto que queria chegar", pois na verdade é o motivo de ter pensado em escrever aqui, a fim de avisar algum turista.
O Famoso Café Colonial de Gramado 
(o que nós fomos foi este aqui).
São muitas opções de locais, na estrada que liga Gramado e Canela. São opções de arquitetura moderna, européia, simples, etc.. com música sertaneja, fandango e etc. Mas todos com preços próximos, cerca de R$60 p/p. e não adianta ir e vir procurando um lugar mais barato.
Mas o que é um Café Colonial?
Bem, na versão oferecida aos turistas, você será servido por bolinhos fritos, rissoles, pasteis, sanduíches frios, geleia, tortas de vegetais com maionese, bolos de cenoura com cobertura de chocolate, bolos de limão e mais.. chá... café... leite.. fatias de salame e linguiças, fatias de queijo prato, mussarela e frescal.. um suco de uva em jarra, e outra uma jarra de vinho doce.. ovos mexidos.. fatia de pão preto, integral, branco, "pão de queijo", fatias de melão ou mamão.
Viu a bagunça?
E é tudo colocado na sua mesa assim que você se senta!! Tipo avalanche! Neste momento você até pensa "Puxa, que bela fartura" e, menos de uma hora depois seu estômago está avisando que a mistura não está mais descendo.. E, na mesa, acabam restando praticamente muitos pratos e pedaços de tudo que foi colocado. É muita comida, acredite.. Todos os grupos e pessoas que se submetem a esse serviço deixam a mesa "cheia" ao sair.. e se tudo aquilo que não cabe mais, será jogado fora, daí então Gramado deve ser igualmente excelente no quesito resíduos e lixo público pois a cidade é limpa e sem muitos cães soltos. Ou, o grande volume que sobra, não é necessariamente sobra, entende?
Preferia que o tal Café Colonial fizesse mais sentido. Poderiam servir a metade e cobrar a metade por exemplo. Ou servir por parte.. isso reduziria a sensação de pagar por algo caro e desperdiçar tudo, em forma de sobras. Ou poderiam dar opções em que se siga uma linha de raciocínio na refeição, por exemplo; Sequência de Cucas, Sequência de Queijos, Sequência de Frios e etc. Ou ainda e já devaneando, poderiam explicar o que é cada comida jogada em nossa mesa que torna o Café Colonial tão diferenciado que o café da manhã do nosso hotel. Logo, e finalmente, não recomendo ir a estes restaurantes, desculpe.

Prefira ir ao Garfo e Bombacha, no caminho para o Parque do Caracol.. pelo menos lá é possível ter contato com uma "atmosfera CTG" e ver um show enquanto se empanturra de carne (e saladas!). Não fui neste ainda.. mas fiquei com remorso de ter ido ao café e não ter ido conhecer um pouco mais a tal tradição gaúcha.

Já as outras belezas destas cidades eu vou deixar para você, leitor e turista, ir lá passear e escrever a respeito em seu diário ou Blog, ok?

Um comentário:

  1. O pior do café colonial é que não tinha gosto "colonial", nada era saboroso e caseiro, pareciam bolos de caixinha sem vergonha sem gosto de nada, e friturinhas congeladas, nada com gosto de "fazenda" ou "feito pela vovó"...

    Uma outra coisa que acho que é parada obrigatória é a cascata do caracol! Apesar de eu não concordar com o valor da entrada, sem opção de meio valor para estudante, vale muito a pena. A cascata é enorme e muito linda e especial =)

    E como gramado na verdade se tornou um centro comercial, tipo um shopping, uma loja exclusiva que amo e recomendo é a Mãos do Mundo, com tema Hindu. A loja de Canela é mais antiga e tem mais variedade, mas a de Gramado também está linda!

    ResponderExcluir

É bom podermos nos entender :D